Qual a razão das mudanças no intercâmbio na Irlanda?

Tempo de leitura: 5 minutos

Estava em uma treta de internet essa semana e no meio da tensão toda uma frase chamou a minha atenção. Ela dizia assim:

“O Governo Irlandês só quer foder prejudicar o estudante brasileiro que vem pra cá”

E toda vez que sai uma mudança nova da imigração essa frase aparece no meio das lágrimas e cabelos arrancados. E é totalmente compreensível, afinal é do sonho do intercâmbio que estamos falando né? Mas na verdade o que está acontecendo é que a Irlanda está apenas corrigindo as coisas, ela ta organizando a bagunça, porque a galera abusou demais do sistema no passado. Então hoje o sistema está se blindando pra não haver mais abuso.

Fonte: Google Images

 

Vamos fazer umas comparações da realidade de hoje com a realidade que era o intercâmbio na Irlanda há alguns anos atrás.

Primeiro ponto:
A rigidez do sistema de ensino.

Hoje a realidade é: O aluno vem, tem que manter 85% de presença, senão pode ser expulso da escola e ter o visto cancelado. Sem 85% de presença pode ter a renovação negada.

E como era? Não havia um controle muito rigoroso da presença do aluno em aula, as pessoas vinham, não estudavam direito e renovavam os vistos mesmo assim. Isso porque não havia uma auditoria do governo em cima das escolas, então as escolas faziam o que queriam.

Segundo ponto:
Permissão de trabalho. Hoje o aluno pode trabalhar 20 horas enquanto estuda e 40 horas durante os meses de junho, julho, agosto e setembro, desde que os horários não conflitem com a escola.

Antes o estudante trabalhava 20 horas por semana enquanto estudava, e podia trabalhar 40 horas por semana no período de ferias. Muitas vezes tiravam o período de ferias no meio do curso pra trabalhar full time. Mas, muita gente não estudava e trabalhavam por 40 horas muito mais que o tempo permitido independente de estarem de ferias ou não.

Terceiro ponto:
Hoje as auditorias em cima das escolas de inglês acontecem constantemente e sem aviso previo. Várias escolas foram fechadas ou faliram. Muita falcatrua foi descoberta pela imigração, então hoje a escola tem que cumprir várias exigências do departamento de ensino pra poder continuar aberta e recebendo alunos estrangeiros. Há alguns anos não havia uma auditoria e controle no que as escolas faziam, qualidade não importava muito e haviam muitas escolas conhecidas como fábricas de visto, onde vendiam o curso, o aluno tirava o visto e pronto. O aluno não aparecia na escola por todo o período de visto dele e a escola não ligava.

Quarto ponto:
Para um aluno tirar o PPS bastava ele levar uma carta emitida pela escola e tirava o documento. Mesmo aqueles que não tinham planos de trabalhar ou que não precisavam do documento.

Hoje pra vc tirar o pps vc precisa justificar a necessidade apresentando um documento para isso.

Quinto ponto:
Hoje alguns bancos não abrem mais contas de estudante livre de taxas de manutenção. Se um estudante quiser uma conta bancaria deverá abrir uma conta normal, com taxa mensal de manutenção e apresentar os documentos que são exigidos para todo mundo (PPS, Passaporte e Comprovante de Residência Oficial (conta de consumo).

Antes o estudante levava uma carta da escola, abria uma conta com cartão de debito, sem pagar taxas e em determinada época havia até um limite na conta, que a galera sacava e levava embora quando voltava para o Brasil. Ou seja, o banco tinha todos os custos operacionais e não ganhava absolutamente nada com isso, o que no meu ponto de vista é algo que não vale a pena para o banco.

Essa é uma análise bem superficial. Mas da para ver claramente que tudo era muito mais fácil e que a nossa Irlandinha não tá querendo foder prejudicar ninguém, ela só cansou de ser legal e só se ferrar.

Vamos fazer uma analogia rápida aqui para ficar mais fácil de passar a mensagem.

A Irlanda é a minha casa, eu vou lá, abro a porta e digo. Pessoal, podem vir aqui na minha casa, eu vou deixar vocês entrarem se cuidarem de tudo e fizerem tudo certinho. Aí o pessoal veio, entrou, abriu a geladeira e comeu tudo, bebeu da minha cerveja, chutou o meu cachorro, dormiu na minha cama e quando ia embora ainda levava o meu cofrinho.

Aí eu fiquei puto e falei: Acabou a putaria. Se você quiser vir aqui vai ter que seguir as minhas regras. E aí o que aconteceu? Começaram a falar que eu quero ferrar todo mundo que quer vir na minha casa.

Infelizmente sabemos que nem todos tentaram levar vantagem do que a Irlanda oferecia. Mas é como já diz o ditado: “Os bons, pagam pelos maus”.

Em resumo foi mais ou menos isso que rolou e que está rolando.

Hoje eu vejo uma Irlanda muito mais séria e dando bons frutos pra quem veio na época de 2014/2015. Quando eu cheguei em 2011 até 2013 eu via a galera vindo, só trabalhando, viajando e não aprendendo ingles. E hoje as coisas estão bem diferentes. Hoje a galera tem que estudar, e consequentemente vejo a galera aprendendo muito mais e respeitando muito mais o sistema.

Aliás, é esse o objetivo né? Afinal estudante tem que estudar e quem estuda aprende.

Então, se você acha que a Irlanda não quer mais estudante aqui digo que você deve se desarmar um pouco. Ela quer estudante sim, mas ela quer estudante que venha, estude, aprenda e vá embora. Ela não quer ninguém pendurado na teta dela só mamando sem trazer nada de bom.

Afinal, intercâmbio é uma troca, manja? Onde você vem, absorve muita coisa e deixa muita coisa boa também. E não somente vem, abre a geladeira, bebe a cerveja, chuta o cachorro, dorme na cama e quando vai embora ainda via xingando dizendo que o pais só quis te foder.

De o melhor de você, porque eu sei que a nossa querida Ilha verde sempre dá o melhor dela.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.